domingo, 15 de julho de 2018

Antônio Arêas Júnior


A cadeira de número seis tem por patrono o artista do verso Antônio Arêas Júnior. Nascido em 26 de junho de 1912, Arêas Júnior produzia versos desde a mais tenra idade. Foi aluno da Academia de Comércio de Campos. Participava de tertúlias inspiradas com poetas como Jacy Pacheco, Luiz Marinho, Waldebrando Rossi e Rangel de Souza. Ainda estudante, escreveu “O Fermento do Futuro”, poema de grande qualidade escrito em homenagem aos estudantes de Campos e que mereceu elogiosos comentários do poeta Manoel Joaquim da Silva Pinto. Na década de trinta do século XX, Arêas Júnior escrevia uma coluna chamada “Picolé Singelo” no jornal “Folha do Commercio”, sob o pseudônimo de Aristarco II. Produzia sonetos de apurada beleza como “Natal”, “Abstração” e “Promessas”, sendo este último escolhido por mim para a leitura em homenagem ao ilustre poeta:

Para a conquista do teu beijo ardente,
Muito eu te prometi – o céu, os mares,
As estrelas que vês, rutilamente,
Lá pelo espaço, embelezando os ares.

Tudo eu te prometi ardentemente,
Para gozar a luz dos teus olhares.
Para te ver ao lado meu contente,
Sorrindo e bendizendo os meus cantares.

Mas, minha amada – dona de meu verso,
-Embora uma mentira isso pareça,
Provarei que é verdade a quem quiser!

Quando eu te prometi todo o Universo,
Não tinha onde pousar minha cabeça
A não ser em teu colo de mulher.

Arêas Júnior, autor destes e de outros versos maravilhosos, faleceu em 09 de novembro de 1942 mas deixou uma obra imorredoura e que garantiu-lhe a eterna homenagem da Academia Pedralva Letras e Artes que fez por bem colocá-lo como patrono da cadeira da qual serei fiel guardião e incansável defensor.


*Biografia extraída de trecho do discurso de posse do acadêmico Carlos Augusto Souto de Alencar.

sábado, 14 de julho de 2018

André Luiz Rodrigues Pinto


         André Pinto é funcionário público municipal da Prefeitura Municipal de São João da Barra, Poeta, Cronista, Contista, Técnico em Turismo, 3° grau completo em Administração, Pós-Graduado em Museografia e Patrimônio Cultural, Coordenador da Cadeira de Meio Ambiente do Geoparque Costões e Lagunas do Estado do Rio de Janeiro, Assessor Cultural do Palácio da Cultura Carlos Martins, Ativista Literário com participação e publicação de artigos em vários jornais e Delegado da União Brasileira de Trovadores em São João da Barra.
Tomou posse na Academia Pedralva Letras e Artes em 17 de outubro de 2015. Atualmente, trabalha na Casa de Cultura João Oscar, que recebe o nome de seu pai.

Marcelo Pereira de Carvalho Sampaio


Nascido em 13 de julho de 1964, Marcelo Sampaio é professor de História e Geografia concursado da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes/RJ e do Governo do Estado do Rio de Janeiro; possui pós-graduação em História do Brasil pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e mestrado em Teoria das Ideias pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); é membro do Conselho Consultivo do Instituto Cultural Cravo Albin; julgador do quesito Enredo, formado pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa); acadêmico da Academia Pedralva Letras e Artes desde 14 de dezembro de 2013; diretor da Sociedade Recreativa dos Diretores de Harmonia das Escolas de Samba do Estado do Rio de Janeiro (Sordheserj); pesquisador de cultura popular; e presidente do Centro Cultural Marcelo Sampaio.

Fonte: livro “Amálgamas da memória”, publicado em 2017 por Marcelo Sampaio.

Roberto Pinheiro Acruche


         Roberto Pinheiro Acruche nasceu em 21 de julho de 1944 na cidade de São Francisco de Itabapoana/RJ. É poeta, trovador e sonetista. É membro da Academia Pedralva Letras e Artes desde 22 de setembro de 2007, tendo exercido a função de presidente da Casa entre 2014 e 2017. É também Delegado da União Brasileira dos Trovadores (São Francisco de Itabapoana/RJ). Coordenou a realização dos Jogos Florais de São Francisco.
         Entre seus trabalhos literários estão os livros “Apontamentos para a História de São Francisco de Itabapoana” e “A Minha Terra Também faz parte da História do Brasil”, bem como a Antologia “A Verve de Sete Poetas Escritores de Campos dos Goytacazes-RJ”, da qual participou em diversas edições com poemas de sua autoria. Também compôs o Hino Oficial da cidade de São Francisco de Itabapoana.
         Foi premiado pelo Congresso Sociedade Cultura Latina – Seção Brasil – com medalha e diploma “Hours Concours”, bem como recebeu o título de Intelectual do Ano de 2014 pela mesma Instituição. Recebeu, da Academia de Letras e Artes de Paranapuã, a Medalha de Mérito Cultural Austregésilo de Atayde. Foi premiado também em vários concursos de trovas, poesias e crônicas de âmbito nacional.
         É autor de dezenas de poemas, sonetos e trovas, publicadas em revistas, jornais e em vários sites e blogs.

Aldiney de Souza Sá


         Aldiney de Souza Sá nasceu em 12 de junho de 1961 em Campos dos Goytacazes/RJ, filho de Ariston Sá e Genecília Cordeiro de Souza Sá. É o sexto filho de uma prole de dez.
         É casado e tem dois filhos. É eletricista de automóveis desde 1976. Foi empossado no dia 25 de março de 2006 como membro da Academia Pedralva Letras e Artes, onde atualmente exerce a função de Diretor de Patrimônio Cultural. É também apresentador do Café Literário Antônio Roberto Fernandes E Diretor de Patrimônio da Associação Mantenedora Asilo Nossa Senhora do Carmo, bem como Diretor de Logística do Centro Cultural Marcelo Sampaio.
         Recebeu o título de cidadão Sanjoanense em 2007 e vários certificados no decorrer da sua vida literária. Seus poemas fazem parte dos livros “A verve dos Sete Poetas”, “A verve da Saudade” e “O caminho da Poesia”.

Fonte: Antologia de trova “A Arte do Dizer”, lançada em 2018 pela União Brasileira de Trovadores (Campos/RJ).